Parabéns, você está grávida!

Após o esperado BHCG positivo, exame de sangue para confirmar a gestação, nossas pacientes já estão previamente muito bem orientadas, seja pelo contato com o Dr. Sérgio Macedo ou pelas funcionárias, ao telefone, e-mails, site e redes sociais. Iniciamos a primeira abordagem com uma ultrassonografia logo com 2 semanas de atraso menstrual, revelando ao casal imagens do crescimento embrionário, e repetindo o mesmo sequencialmente até a 12º semana, quando alguns dos exames são terceirizados em Clínicas de Medicina Fetal, como a pesquisa da translucência nucal. O crescimeto embrionário até 12 semanas é praticamente matemático, biologicamente, passando acima de qualquer outra dúvida com relação à data da concepção. Isto traz grande diferencial diagnóstico, no diagnóstico precoce de gestações gemelares, nas gestações anômalas e outras, como gestações de alto risco. Nossa abordagem do acompanhamento pré-natal é completamente diferenciada, com ultrassonografias em quase todas as consultas, dinâmica de orientações diferenciadas por e–mails, e sempre com disponibilidade de contato para emergências via celular, 24 horas/dia. Com parcerias de diversas especialidades, podemos garantir um pré-natal multidisciplinar, se necessário – ou seja, vários colegas em diferentes especialidades, para melhor acompanhamento e segurança das gestantes de alto risco. Respeitando sempre o desejo da paciente de Parto Normal ou Cesárea, seguimos a gestante até a tão esperada hora, no Hospital de escolha da paciente.

Obstetrícia de Alto Risco

A Clínica Macedo atua na área de Obstetrícia de Alto Risco, com tratamento diferenciado oferecido às pacientes, com cuidados pré-gestacionais e orientações específicas. Encaixam-se nessa definição as pacientes com:

  • Diabetes gestacional;
  • Hipertensão prévia e doença hipertensiva da gestação (DHEG);
  • Obesidade pré-gestacional;
  • Disfunções hormonais;
  • Doenças autoimunes e reumáticas;
  • Distúrbios da tireoide e gestação;
  • Anomalias anatômicas do útero e miomas associados;
  • Histórico de abortos – trombofilias e outras causas;
  • Gestações pós-cirurgias bariátricas;
  • Gestações acima dos 40 anos;
  • Gemelaridade;
  • Alterações precoces do líquido amniótico e placenta;
  • Pesquisa especializada precoce em anomalias cromossômicas;
  • Fetos com baixo ganho de peso.